ACABOU A QUARESMA!

Qual Católico que nesta quaresma ao acessar suas redes sociais, não se deparou com as frases:

– “Onde está na Bíblia que não é para comer carne”?

– “Faz fofoca o ano todo e na quaresma não come carne”.

– “Não comer carne na quaresma, não trará a salvação de sua alma”.

Confesso que corri deste tipo debate a quaresma inteira, mas agora, “acabou a Quaresma”. O Jejum Quaresmal é um preceito católico e me impressiona o quanto ele incomoda àqueles que estão fora da Barca de Pedro. Esses, destilam nas redes sociais, todo o seu espanto e críticas vazias, sobre algo que não possuem a mínima ideia do que seja demonstrando aquilo em que costumam ser: hereges.

Este artigo tem a santa pretensão em responder as questões acima e trazer luz à alma dos incrédulos.

Onde está na Bíblia que não é para comer carne”? Ora, a questão não é se pode comer carne ou não, mas, fazer aquilo que era hábito dos judeus, profetizado por Nosso Senhor Jesus Cristo, conservado e ensinado pela Santa Madre Igreja e isso se chama Jejum. O jejum, pode ser praticado de várias formas: pão e água, somente água, supressão de alguma refeição, de um alimento em específico e etc. Eu jejuo porque a Igreja, Corpo Místico onde Cristo é a Cabeça, assim ensina. Mas afinal, tal ensino está na Bíblia?

Vejamos o que São Lucas (5,33-35) nos ensina:

“Eles então lhe disseram: ‘Os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuam com frequência e fazem longas orações, mas os teus comem e bebem’. Jesus respondeu-lhes: ‘Porventura podeis vós obrigar a jejuar os amigos do esposo, enquanto o esposo está com eles’? Virão dias em que o esposo lhes será tirado; então jejuarão”.

O Jejum Quaresmal, além de se assemelhar com os 40 dias no deserto que Nosso Senhor foi tentado, este período liturgicamente, nos prepara para o ponto alto da nossa fé, isto é, a morte e Ressurreição de Cristo. Agora que sabemos que o Jejum foi uma profecia deixada por Cristo e o ato de jejuar pode ser feito de várias maneiras, passemos para segunda questão.

Faz fofoca o ano todo e na Quaresma não come carne”. Esta é uma das mais engraçadas sentenças “anti-quaresma” encontradas na internet. Oras, só o fato de apontar alguém como “fofoqueiro”, é em si mesmo, uma fofoca. Logo, vemos duas pessoas com os vícios (pecado) sendo que a primeira, não abre mão de seu pecado de estimação e a segunda, é criticada por ao menos uma vez ao ano, tentar livrar-se dele.

O exercício do jejum quaresmal, convida-nos a abandonar, ou ao menos tentar, nossos pecados que em sua maioria, a Igreja já explica ao listá-los como os “7 (sete) pecados capitais” e seus desdobramentos. Dessa forma, a Igreja cria para o católico, uma forma de melhor compreender os 10 mandamentos.

Vejamos abaixo:

Soberba: É a estima excessiva da própria pessoa. Avareza é o amor desregrado às riquezas.

Luxúria, ou lascívia: Vício contrário à pureza. Proibido pelo 6º e 9º mandamento da Lei de Deus.

Inveja: Deriva-se da soberba. Consiste no regozijo pela desgraça que sucede ao próximo e no pesar pela boa sorte dele, como se a felicidade alheia perturbasse a nossa. Logo, a inveja tem duas caras: expandida e risonha perante o mal dos outros; amarrada e tristonha diante da prosperidade alheia.

Gula: É o amor desordenado ao alimento. Quando se aplica de modo especial à bebida, chama-se embriaguez, alcoolismo.

– Ira: É um movimento desordenado da alma que se revolta contra o que não lhe apraz.

– Preguiça: É o apego desmedido ao descanso que leva a omitir nossas obrigações, ou a descuidá-las.

Avareza: Apego excessivo aos bens materiais.  

Como podemos perceber, os pecados capitais são gerados de sentimentos desordenados do homem e é esta desordem que combatemos com os exercícios quaresmais. É claro que essa ordenança não está limitada ao tempo de quaresma, mas, devemos perseverar o ano inteiro com jejum, oração, mortificação e penitência.

Não comer carne na Quaresma não trará a salvação de sua alma”. Esta afirmação beira ao maligno e convido todos para uma análise que ajudará a salvar sua alma.

Se a Igreja afirmasse isto, condenar-se-ia a si próprio, pois se salvação das nossas almas dependesse única e exclusivamente de uma ação humana concreta, mataríamos a Deus. A salvação reside na pessoa do Cristo e a este Cristo, ofertamos nossas misérias e ações concretas para alcançarmos frutos transcendentais que só um Deus transcendente pode dar.

A Quaresma é prova eficaz de comunhão da Igreja de Cristo, a Santa Igreja Católica Apostólica Romana, com o próprio Cristo que recorrendo ao poder das chaves dado a São Pedro (Mt16,13-20), é a única revestida de autoridade para as questões de fé e verdade reveladas por Deus e a 2000 anos, dá testemunho de obediência e agradecimento por tantos benefícios, para expiação dos nossos pecados, dos nossos irmãos, para alivio das almas do purgatório , para alcançar a graça de livrar-nos do pecado e alcançarmos a virtude.

Bibliografia

Bíblia Católica Ave Maria on line
https://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/

Católicos On line BR
https://www.youtube.com/watch?v=fEpJlEzLzzE

Instruções sobre a Quaresma
http://catolicosribeiraopreto.com/instrucao-sobre-a-quaresma/

Os 7 Pecados Capitais
http://www.derradeirasgracas.com

Autor
Sandro Pinto de Jesus



Categorias:Reflexões

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: