A Mulher do Apocalipse 12 (Parte 2)

Escrito por Lucas Falango.

Como vimos na primeira parte, nós podemos traçar diversos paralelos entre o Apocalipse 12 e as passagens do velho testamento e com isso concluímos que existe mais de uma interpretação possível.

Quando o Apocalipse fala do Filho Varão que regerá as nações com cetro de ferro, ele fala de sua mãe como uma Mulher revestida do Sol:

“Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma MULHER REVESTIDA DO SOL, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas […] Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele QUE DEVE REGER todas as nações pagãs COM CETRO DE FERRO. Mas seu Filho foi arrebatado para junto de DEUS E DO SEU TRONO.” (Apocalipse 12,1.5)

No Velho Testamento, a escritura nos fala do Filho de Deus que governará com cetro de ferro:

“Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: TU ÉS MEU FILHO, eu hoje te gerei. Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão. Tu os esmigalharás com CETRO DE FERRO; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.” (Salmo 2,7-9)

Ele é o Rei Messias, o Cristo (que quer dizer: ungido), seu cetro de ferro é cetro de justiça, sua mãe é apresentada como a Rainha, ornada de ouro de Ofir:

VOSSO TRONO, Ó DEUS, é eterno, de equidade é VOSSO CETRO real. Amais a justiça e detestais o mal, pelo que o Senhor, vosso Deus, VOS UNGIU com óleo de alegria, preferindo-vos aos vossos iguais […] Filhas de reis formam vosso cortejo; posta-se à vossa direita A RAINHA, ORNADA DE OURO DE OFIR.” (Salmo 44,7-8.10)

O Apocalipse 12 fala de uma “mulher revestida do sol”, na escritura o sol é usado como que um símbolo para Deus, Senhor que dá a Graça:

“Porque o Senhor Deus é nosso SOL e nosso escudo, o Senhor dá a GRAÇA e a glória. Ele não recusa os seus bens àqueles que caminham na inocência.” (Salmo 83,12)

“Mas, sobre vós que temeis o meu nome, levantar-se-á o sol da justiça que traz a salvação em seus raios…” (Malaquias 4,2)

“Pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, graças à qual nos visitou do alto o SOL nascente” (Lucas 1,78)

Como diz o Salmo 83 e o evangelho de Lucas, o Senhor é nosso sol, e nos dá a sua graça, e traz a salvação em seus raios, logo, uma pessoa cheia da graça de Deus, só pode estar cheia da luz deste Sol, ou melhor: revestida do sol!

“Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, CHEIA DE GRAÇA, o Senhor é contigo.” (Lucas 1,28)

A expressão “cheia de graça” (κεχαριτωμένη) é usada uma única vez em toda a Bíblia, justamente na Anunciação, quando o Arcanjo Gabriel saúda Maria, usando essa expressão como um título para ela. Temos então no Novo Testamento: uma Mulher revestida do Sol, dando à luz ao Filho Varão que vai reger as nações com cetro de ferro, ou seja, o Messias, Jesus Cristo.

No Velho Testamento vemos no Salmo 44, a figura de um Rei, ungido por Deus, e a sua direita uma Rainha vestida de ouro de Ofir (sinônimo de pureza), segundo a epístola aos Hebreus (1,8-9) o Salmo 44 é messiânico, e fala de Cristo (o Ungido) como Rei Messiânico (Lc 1,32), e ao seu lado está uma Rainha, os reis de Judá tinham por tradição entronizar suas mães, e não suas esposas (pois eram poligâmicos), as rainhas até mesmo usavam coroas (Jeremias 13,18), tinham um trono próprio a direita do Rei (1 Reis 2,19, Neemias 2,6). Elas detinham a posição mais alta do reino depois do próprio Rei (1 Reis 2,19; Reis 15,13; 2 Reis 10,13), auxiliavam no governo do filho com a sabedoria materna (Provérbios 31,1-9), eram chamadas de Gebirah, ou: Grande Senhora (por isso chamamos Maria de Nossa Senhora).

Um fato curioso, é que o povo buscava a intercessão da rainha mãe para estarem nas graças do Rei (1 Reis 2,13-21, Salmo 44,13), e a rainha intercedia pelo seu povo (Provérbios 31,9). Se Jesus é filho de Davi segundo a carne, Maria só pode ser filha de Davi, pois é dela que Jesus herdou a carne, e por isso Davi escreve no seu Salmo ao se dirigir a essa figura feminina:

“Ouve, Ó FILHA […] O povo de Tiro (os gentios) vem com presentes; os grandes do povo suplicarão o teu favor.” (Salmo 44,11.13)

Quem é essa, senão Maria Santíssima? Filha de Davi e Mãe do Rei Messias, a Rainha Mãe do povo de Deus (por isso dizemos:Salve Rainha, Mãe de Misericórdia…”).

Jesus ao herdar o trono de Deus (Apocalipse 3,21), e o trono de Davi (Lucas 1,32), unindo o governo dos homens sob o governo divino, não faria diferente dos seus antecessores mortais, por isso é seguro dizer que a figura a sua direita, a Rainha Mãe ornada de ouro de Ofir, não é outra senão a Mulher vestida de Sol, a Virgem que deu à luz a um Filho (Is 7,14), o Filho Varão, Rei dos reis e Senhor dos senhores! A humilde menina de Belém, cuja alma engrandece o Senhor (Lc 1,46), predestinada antes de todos os séculos, e preparada antecipadamente para poder nos trazer o Salvador Perfeitíssimo. E que todas as gerações a proclamarão bem-aventurada (Lc 1,48), e com isso, o Senhor será engrandecido através dela por todas as gerações. Até isso já estava prefigurado no antigo testamento:

“Uma, porém, é a minha pomba, a minha IMACULADA; ela é a única de sua mãe, a predileta daquela que a deu à luz. AO VÊ-LA, as donzelas PROCLAMAM-NA BEM-AVENTURADA, rainhas e concubinas a louvam. Quem é esta que surge como a aurora, bela como a lua, BRILHANTE COMO O SOL, temível como um exército em ordem de batalha?” (Cântico dos Cânticos 6,9-10)

“E, entrando o anjo onde ela estava, disse-lhe: Deus te salve, cheia de graça, o Senhor é contigo; BENDITA ÉS TU ENTRE AS MULHERES” (Lucas 1,28)

Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: BENDITA ÉS TU ENTRE AS MULHERES e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio. BEM-AVENTURADA ÉS TU que creste…” (São Lucas, 1,42-45)

“[…] Por isso, desde agora, me proclamarão BEM-AVENTURADA todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo.” (Lucas 1,48-49)

Quem será essa Imaculada, (ou dependendo da tradução: “a perfeita”), que ao ser vista é louvada, e proclamada bem-aventurada?

Quem será essa que deu à luz ao Filho Varão estando revestida do sol? Será a mesma que deu à luz ao nosso Messias sendo “cheia de graça“? A serva do Deus que é o nosso sol, que concede graça (Sl 83,12), o Sol da Justiça (Ml 4,2) que nos visita (Lc 1,78)?

Quem será essa Rainha mãe, a direita do Rei Messiânico, revestida com ouro de Ofir, ouvindo as suplicas do povo?

Fiquemos por aqui, como diria um grande santo: “Para alguém que tenha fé, nenhuma explicação é necessária. Para aquele sem fé, nenhuma explicação é possível.”

“Ora pro nobis, Sancta Dei Genitrix. Ut digni efficiamur promissionibus Christi.”



Categorias:Mariologia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: